fbpx

Só uma dica para quem ler esse artigo, leia o raciocínio completo antes de criticá-lo.  Esse texto é recheado com humor irreverente e até mesmo polêmico. Raciocínios controversos e provocantes nos fazem pensar.

Fique livre para parar de ler isso se sua carreira está indo muito bem, você está super satisfeito com sua vida e está feliz com seus relacionamentos.

Para o resto de vocês, eu quero que vocês tentem algo: listem cinco coisas impressionantes sobre vocês mesmos. Escreva-as ou somente as grite para todos.

Mas aqui está a pegadinha: não é permitido que você liste qualquer “qualidade” sua (ou seja, eu sou um cara legal, sou honesto), ao invés disso você somente pode listar coisas que você faz.

Se você achar isso difícil, bem, este artigo é para você, e você vai odiar ler todas as coisas aqui.

Minha única defesa é que isso é o que eu desejaria que alguém me dissesse quando eu era mais jovem.

6. O mundo somente se importa com o que pode obter de você

Digamos que a pessoa que você ame acabou de ser baleada. Ele ou ela está agonizando na rua, sangrando e chorando. Um cara aparece do nada e diz, “Afastem-se”. Ele observa o ferimento de bala na sua amada e puxa um canivete: ele está pronto para operá-la ali mesmo na rua.

“OK, quem é doente aqui?”

Você pergunta: “Vocé é médico”?

O cara diz: “Não”.

Você diz: “Mas você sabe o que está fazendo, certo? Você é um médico aposentado, ou…”

Nesta hora o cara parece incomodado. Ele diz a você que é um cara legal, honesto, que nunca se atrasou para nada. Ele diz que é um grande filho e tem uma vida cheia de hobbies saudáveis, e ele se gaba de nunca ter falado palavrão na vida.

Confuso, você diz: “Como diabos qualquer dessas coisas importam quando minha (mulher/esposa/mãe/melhor amiga) está morrendo aqui, sangrando? Eu preciso de alguém que saiba como operar ferimentos de bala! Você pode fazer isso ou não?!”

Agora o homem fica agitado: “por que você está sendo tão superficial e egoísta?” Você não se importa com nenhuma das outras qualidades dele! Você não o ouviu dizendo que ele sempre se lembra do aniversário da namorada? Mesmo sabendo de tudo isso sobre ele, realmente a única coisa na qual você se importa é se ele sabe como fazer um cirurgia?

Naquele momento de pânico, você irá sacudi-lo com suas mãos ensanguentadas, berrando: “Sim, estou dizendo que nenhuma dessas merdas importam, porque nesta situação específica, eu preciso somente de alguém que possa parar o sangramento, seu maluco desgraçado filho-da-mãe!!!!”

“Eu não entendi. Irá ajudar se eu colocar um jaleco? Espere um minuto, deixe eu só pegar um aqui…”

Então aqui está minha terrível verdade sobre o mundo adulto: você está nesta situação singular diariamente. Só que você é o cara confuso com o canivete. A sociedade inteira é a vítima ferida de tiro.

Se você quer saber por que a sociedade parece afastar-se de você, ou por que você não consegue ter o respeito dela, é porque a sociedade está cheia de pessoas que precisam de coisas. Elas precisam que suas casas sejam construídas, de comida para comer, entretenimento, de relações sexuais prazerosas. Você surge nesta cena de emergência, segurando seu canivete, desde o seu nascimento: no momento em que você veio ao mundo, você começou a fazer parte do sistema projetado exclusivamente para atender as necessidades das pessoas.

“Aqui está a porcaria que você pediu. Agora caia fora!”

Ou você irá cumprir a tarefa de encarar essas necessidades aprendendo uma gama única de habilidades, ou o mundo irá rejeitar você, não importa o quanto gentil, generoso ou educado você seja. Você será pobre, sozinho e indesejável.

Isto parece ser mal, grosseiro ou materialista? E o amor e gentileza? Essas coisas não importam? É claro. Desde que elas resultem em você fazendo coisas para as pessoas que elas não consigam em outro lugar. Veja só…

5. Os hippies estavam errados

Aqui vai uma das maiores cenas da história do cinema (AVISO: LINGUAGEM EXTREMAMENTE DIRETA):

Para aqueles que não conseguem assistir ao vídeo, o vídeo trata-se do famoso discurso que Alec Baldwin dá no clássico do cinema “Sucesso a qualquer preço”. O personagem de Baldwin – que assume-se que seja o vilão – discursa para um sala cheia de caras, de uma maneira bem “filho da mãe”, dizendo-lhes que serão demitidos a não ser que fechem as vendas que lhe foram atribuídas.

“Um cara legal? Estou nem aí. Bom pai? Foda-se! Vá para a casa e brinque com seus filhos. Se você quer trabalhar aqui, venda.

É brutal, rude e beira a sociopatia, mas também é uma manifestação honesta e precisa do que o mundo está esperando de você. A diferença é que, no mundo real, as pessoas consideram errado falar com você dessa forma então elas decidiram que é melhor simplesmente deixar que você continue falhando.

“Calouros, bem-vindos à aula de artes do Sr. Baldwin, todos estão aqui? Bem, vou começar mesmo assim.”

Esta cena mudou minha vida. Eu colocaria esse discurso como meu despertador se eu soubesse como fazer isso. Alec Baldwin foi indicado ao Oscar por esse filme e essa é a única cena em que ele está. Como algumas pessoas inteligentes demonstraram, a capacidade deste discurso é que metade das pessoas que o assistiram acham que o objetivo da cena é “Nossa, como deve ser ter um chefe tão babaca?” e a outra metade diz, “Foda, vamos sair e fazer boas vendas!”.

(…)

Por exemplo, algumas pessoas querem responder à esse discurso com a frase de Tyler Durden do filme Clube da Luta: “Você não é seu emprego!”.

Mas, bem, na verdade você é. Seu “emprego” e meio de vida podem não ser a mesma coisa, mas em ambos os casos você não é nada mais que a soma de todas as suas habilidades úteis. Por exemplo, ser uma boa mãe é um trabalho que requer uma habilidade. É algo que uma pessoa pode fazer que é útil para outros membros da sociedade. Não entenda mal. Seu “trabalho” é a coisa útil que você faz para outras pessoas, é tudo que você é.

Há uma razão de porque os cirurgiões ganhem mais respeito que os escritores de comédia. Há uma razão para que mecânicos ganhem mais respeito que hippies desempregados. Há uma razão para que seu emprego tornar-se seu rótulo se sua morte gera a notícia (O dono da Yoki morre em um assassinato/homicídio.). Tyler disse, “Você não é seu emprego”, mas ele também fundou e dirigiu uma companhia de sabão de sucesso e tornou-se o chefe de um movimento social e político internacional. Ele era, completamente, o trabalho dele.

Ou pense dessa forma: Relembre quando a empresa Chick-fil-A mostrou-se ser contra o casamento de gays. E como, apesar dos protestos, a companhia continuou a vender milhões de sanduíches todo dia. Não é porque o país concorda com eles; é porque eles fazem seu trabalho de fazer sanduíches deliciosos muito bem. E isso é tudo que importa.

Você não precisa gostar disso. Eu não gosto quando chove no meu aniversário. As nuvens se formam e a precipitação acontece. As pessoas têm necessidades e então dão valor às pessoas que os satisfazem. Este é o simples funcionamento do universo e eles não respondem aos nossos desejos.

“Isto é bobagem. Eu tenho um ficha criminal limpa, e esse é o prêmio que recebo?”

Se você protesta que você não é um capitalista egoísta materialista e que você discorda que o dinheiro é tudo, eu só posso dizer: Quem disse alguma coisa sobre dinheiro? Você não está entendendo o ponto chave.

4. O que você produz não tem a ver com ganhar dinheiro, mas tem a ver com beneficiar pessoas

Vamos tentar usar um exemplo sem o uso de dinheiro para que você não fique pensando nisso. Este site (do artigo original, Cracked) escreve para, em média, homens de 20 e poucos anos.

Então na nossa caixa de entrada eu leio várias histórias por ano de caras miseráveis e solitários que insistem que aquela mulher não dá mole para eles apesar deles serem os caras mais legais do mundo. Eu posso explicar porque este raciocínio está errado, mas provavelmente é melhor deixar o Alec Baldwin explicar:

Neste caso, Baldwin está interpretando o papel da mulher atraente em sua vida. Elas não vão ser tão claras quanto ele, a sociedade nos treinou para não sermos honestos uns com os outros, mas a verdade é a mesma: “Cara legal”, quem se importa? Se você quer trabalhar aqui, venda!

Então, o que você tem para mostrar? Então, o que você tem para oferecer? Porque a guria que você tem sonhado, aquela da livraria e que parece com a Zooey Deschanel, passa hidratante em seu lindo rosto por uma hora toda noite e se sente culpada quando ela come qualquer coisa que não seja salada no almoço. Ela será uma cirurgiã em 10 anos. E o que você faz? O que você tem para oferecer?

“Então você está me dizendo que eu não consigo pegar garotas como ela a não ser que tenha um bom emprego e muito dinheiro?”

Não. Seu cérebro vai direto para essa conclusão para que você tenha uma desculpa para tudo que lhe rejeita pensando que eles estão sendo somente egoístas e superficiais. Estou perguntando: o que você tem a oferecer? Você é inteligente? Engraçado? Interessante? Talentoso? Ambicioso? Criativo? Ok, agora o que você faz para demonstrar esses atributos para o mundo? Não diga que você é um cara legal. Esse é o mínimo que você tem que ser. Garotas bonitas tem caras sendo legais com elas 36 vezes ao dia. O paciente está sangrando na rua. Você sabe como operá-lo ou não?

Bem, eu não sou sexista ou racista ou ganancioso ou superficial ou mal-educado! Não sou igual aqueles otários!”

Desculpe-me, eu sei que isso é difícil de ouvir, mas se tudo que você pode fazer é listar um monte de defeitos que você não tem, então se afaste do paciente. Há um cara inteligente e bonito com uma carreira promissora pronto para operar.

Isso quebra o seu coração? Ok, então e agora? Você vai ficar se lamentando sobre isso, ou irá aprender como fazer a cirurgia? É por sua conta, mas não reclame sobre como as garotas se apaixonam por idiotas; elas se apaixonam por aqueles idiotas porque aqueles idiotas tem outras coisas que podem oferecer. “Mas eu sou um bom ouvinte” Você é? Porque você está disposto a ficar quieto em seu canto em troca da chance de estar perto de uma garota linda (e gastar cada segundo imaginando quão macia sua pele deve ser)? Bem, adivinhe só, há outro cara na vida dela que também sabe fazer isso, e ele também sabe tocar guitarra! Dizer que você é um cara legal é como um restaurante em que a única especialidade é que a comida não o deixe doente. Você é como um filme novo que o título é“Esse Filme é legendado”, e o subtítulo é “Os atores estão bem visíveis”.

Eu acho que é por isso que você pode ser um “cara legal” e ainda assim se sentir mal consigo mesmo. Especificamente…

3. Você se odeia porque não faz nada

“Preciso urgente de alguém que resolva os meus problemas.”

“Então, o que, você está dizendo que eu deveria pegar um livro sobre como conseguir mulheres?”

Somente se o primeiro passo do livro for “Como se tornar o tipo de pessoa que as mulheres querem ter por perto”.

“Ué… cadê a vodka que eu escondi aqui?”

Porque esse é o passo que é ignorado – é sempre “Como posso conseguir um emprego?” ao invés de “Como posso me tornar o tipo de pessoa que o mercado busca?” É “como posso fazer mulheres bonitas gostarem de mim?” em vez de “Como eu posso me tornar o tipo de pessoa que as mulheres bonitas tem interesse?” Veja, porque essa segunda opção pode muito bem exigir que você desista de muitos dos seus hobbies favoritos e que também preste mais atenção à sua aparência, além de sabe Deus o que mais. Você pode até ter que mudar a sua personalidade.

“Mas por que eu não consigo encontrar alguém que gosta de mim só por mim?” você pergunta. A resposta é: porque os seres humanos precisam de coisas. A vítima está sangrando, e tudo o que você pode fazer é olhar para baixo reclamando que as feridas de bala não fecham sozinhas?

Aqui está outro vídeo (Contém quase nudez):

Todo mundo que assistiu a esse vídeo instantaneamente ficou um pouco mais feliz, embora nem todos pelas mesmas razões. Você pode fazer isso para as pessoas? Por que não? O que está te impedindo de amarrar sua tanga e capa e chegar ao palco balançando seu pênis para o público? Esse cara sabe o segredo para vencer na vida humana. Fazer esse negócio esquisito é melhor do que não fazer nada.

“Mas eu não sou bom em nada!” Bem, eu tenho boas notícias – com algumas horas de repetição você pode ficar bom em qualquer coisa. Eu era o escritor mais odioso do mundo quando eu era criança. Eu era apenas um pouco melhor aos 25 anos. Mas enquanto eu estava falhando miseravelmente na minha carreira, escrevi no meu tempo livre por oito anos seguidos, um artigo por semana, antes de ganhar dinheiro real com isso. Levou 13 anos para eu ficar bom o suficiente para entrar na lista de best-sellers do New York Times. Demorei provavelmente 20.000 horas de prática para lapidar essa habilidade.

Não gosta da perspectiva de derramar todo esse tempo em uma prática? Bem, tenho boas e más notícias. A boa notícia é que o simples ato de praticar te ajudará a sair do seu casulo – eu passei por anos de tedioso trabalho de escritório porque sabia que estava aprendendo uma habilidade única durante a jornada. As pessoas desistem porque demora muito para ver os resultados, porque não conseguem descobrir que o processo é o resultado.

A má notícia é que você não tem outra escolha. Se você quer trabalhar aqui, venda.

Porque na minha opinião de não-especialista, você não se odeia porque tem baixa auto-estima, ou porque outras pessoas foram más para você. Você se odeia porque não faz nada. Nem mesmo você pode simplesmente “amar a si por si” – é por isso que você está infeliz e enviando mensagens particulares me perguntando o que eu acho que você deveria fazer com sua vida.

Primeiro passo: Levantar.

Faça as contas: quanto do seu tempo é gasto consumindo coisas que outras pessoas fizeram (TV, música, videogames, sites) contra aquelas que são feitas por você? Somente uma dessas ações te acrescenta valor como ser humano.

E se você odeia ouvir isso e responde com algo que ouviu quando era criança, como “O que importa é o que está dentro de você!”, então eu te respondo…

2. O seu interior só importa por causa do que faz você fazer

Estando no ramo em que estou, conheço vários aspirantes a escritores. Eles se veem como escritores, eles se apresentam como escritores em festas, eles sabem que, no fundo, possuem um coração de escritor. A única coisa que eles estão esquecendo é aquela pequena etapa final, onde eles precisam realmente escrever alguma coisa, caramba!

Mas isso importa mesmo? “Escrever coisas” é tão importante quando se decide quem é ou não é um “escritor” de verdade?

Pelo amor de Deus, é claro que sim!

Já vi muito “escritor” que produziu menos do que isso aí.

Veja, há uma defesa comum para tudo o que eu disse até agora e para todas as vozes críticas em sua vida. É o que o seu ego está dizendo para que você possa fugir do trabalho duro de melhorar: “Eu sei que sou uma pessoa boa por dentro”. Também pode ser algo como “Eu sei quem eu sou” ou “Eu apenas tenho que ser eu”.

Não me entenda mal; quem você é por dentro é tudo – o cara que construiu uma casa para sua família a partir do zero fez isso por causa de quem ele era por dentro. Todas as coisas ruins que você já fez começaram com um mau impulso, algum pensamento ricocheteando dentro do seu crânio até que você teve que agir de alguma maneira. E toda coisa boa que você fez passou pelo mesmo processo – “quem você é por dentro” é o solo metafórico pelo qual sua fruta cresce. Mas aqui está o que todo mundo precisa saber e o que muitos de vocês não conseguem aceitar:

“Você” não é nada além dos frutos.

A sociedade nos olha como essa câmera que está apontada para cima ao invés da base.

Ninguém se importa com a sua raiz. “Quem você é por dentro” não tem sentido além do que você produz para outras pessoas.

Por dentro, você tem muita compaixão pelas pessoas pobres. Ótimo. Isso faz com que você faça alguma coisa de verdade por elas? Você ouve falar sobre alguma tragédia terrível na sua cidade e diz, “Coitadinhas daquelas crianças. Permitam que elas saibam que estão em meus pensamentos”? Porque, se é isso, pelo amor de Deus – descubra o que elas precisam e ajude a fornecer o que for preciso. Cem milhões de pessoas enviam pensamentos e orações depois de cada tiroteio em massa. O que o poder coletivo desses bons pensamentos proporciona? Merda nenhuma. As crianças morrem todos os dias porque milhões de indivíduos ficam dizendo que rezar é tão bom quanto fazer. É um mecanismo interno controlado pela parte preguiçosa do seu cérebro para evitar que você realmente faça o que precisa ser feito.

“A equipe médica está saindo de férias, mas não se preocupe, porque nós torceremos muito pela senhora.”

Quantos de vocês estão andando por aí dizendo: “Ele/ela me amaria se soubesse a pessoa interessante que eu sou!” É mesmo? Como todos os seus pensamentos e ideias interessantes se manifestam no mundo? Em que ações elas se transformam? Se a menina ou o cara dos seus sonhos tivessem uma câmera escondida que te seguisse por um mês, eles ficariam impressionados com o que viram? Lembre-se, eles não podem ler sua mente – eles só podem observar. Considerando isso, eles gostariam de fazer parte dessa vida?

Porque tudo o que eu estou pedindo é que você aplique em si o mesmo padrão de cobrança que faz aos outros. Você não tem aquele amigo cristão chato cuja única ajuda que oferece é “orar para as pessoas”? Isso não te deixa louco? Não estou nem comentando se a oração funciona ou não; isso não muda o fato de que esses indivíduos escolheram o tipo de ajuda que não exige que eles saiam do sofá. Eles não tem nenhum vício, eles só tem pensamentos puros, seu solo interno é tão puro quanto pode ser, mas que frutos crescem disso? E olha que eles deveriam saber isso melhor do que todo mundo – eu roubei a metáfora da fruta da Bíblia. Jesus disse algo como “a árvore é julgada pelo seu fruto” várias e várias vezes. É verdade que Jesus nunca disse: “Se você quer trabalhar aqui, venda”. Mas ele disse que: “Toda árvore que não dá bons frutos é cortada e jogada na fogueira”.

As pessoas não reagiram bem ao ouvir isso, assim como os vendedores não reagiram bem a Alec Baldwin os dizendo que precisavam ter culhões ou se limitarem a engraxar sapatos. O que nos leva ao ponto final…

1. Tudo dentro de você lutará contra a mudança

A mente humana é um milagre, e você nunca a verá mais bela em ação do que quando está tentando lutar contra uma evidência que precisa ser questionada. Sua psique está equipada com camadas e mais camadas de mecanismos de defesa projetados para derrubar qualquer ideia que possa impedir que as coisas fiquem exatamente onde estão – pergunte a qualquer viciado como funciona. Então, mesmo agora, alguns de vocês lendo isto estão sentindo seus cérebros lhes bombardeando com razões instintivas para rejeitar essas palavras. Por experiência, posso dizer que esses impulsos reagem da seguinte maneira …

* Intencionalmente, transformam qualquer crítica em insulto

“Quem é ele para me chamar de preguiçoso e inútil! Uma pessoa boa nunca falaria assim comigo! Ele escreveu tudo isso só para se sentir superior a mim e para fazer eu me sentir mal com a minha vida! Vou pensar em um bom insulto só para retrucar! “

* Focam em outra coisa para evitar ouvir a mensagem

“Quem é ESSE CARA para ME dizer como viver? Uau, ele é tão certinho e poderoso! É só algum escritor estúpido na Internet! Eu vou descobrir algum podre sobre ele que me mostre o quanto ele é estúpido e que tudo o que ele está dizendo é uma idiotice! Esse cara é tão metido que me faz vomitar! Eu assisti um antigo vídeo do youtube de um RAP dele e achei completamente sem ritmo!”

“Quando você chegar onde eu estou na vida, sinta-se livre para me dar conselhos! Até lá, você não passa de carne e palpites”

* Criam um conflito para evitar ouvir o conteúdo

“Vou procurar até achar uma piada ofensiva fora do contexto, e depois falar e pensar apenas sobre isso! Ouvi dizer que uma única palavra ofensiva pode tornar um livro inteiro invisível!”

* Revisam sua própria história

“As coisas não são tão ruins! Eu sei que tentei me suicidar no mês passado, mas estou me sentindo melhor agora! É totalmente possível que, se eu continuar fazendo exatamente o que estou fazendo, as coisas acabem dando certo!” Eu terei minha grande chance, e se eu continuar fazendo favores para aquela menina bonita, eventualmente ela vai aparecer! “

*Fingem que qualquer tentativa de aprimoramento pessoal estaria, de alguma forma, traindo o seu verdadeiro eu

“Ok, então agora eu deveria me livrar de toda minha coleção de mangás e ir para a academia durante seis horas por dia e me bronzear igual aqueles babacas? Porque ESSA É ÚNICA OPÇÃO.”

“Parabéns pela casa nova, seu traidor da gangue dos vagabundos.”

E por aí vai. Lembre-se, a miséria é confortável. É por isso que tantas pessoas preferem isso. Felicidade exige esforço. Além disso, coragem – é incrivelmente reconfortante saber que, desde que você não crie nada em sua vida, ninguém poderá atacar a coisa que você criou. É muito mais fácil apenas sentar e criticar as criações de outras pessoas. Esse filme é estúpido. Os filhos desse casal são pirralhos. O relacionamento desse outro casal é uma bagunça. Esse cara rico é superficial. Esse restaurante é uma porcaria. Este escritor da Internet é um idiota. É melhor deixar um comentário maldoso exigindo que o site o demita. Veja, eu criei alguma coisa.

Ah, espere, eu esqueci de mencionar essa parte? Sim, o que quer que você tente construir ou criar – seja um poema, uma nova habilidade ou um novo relacionamento – você se verá imediatamente cercado por não-criadores te criticando. Talvez não na sua frente, mas eles farão isso. Seus amigos bêbados não querem que você fique sóbrio. Seus amigos gordos não querem que você emagreça. Seus amigos desempregados não querem que você embarque em uma nova carreira.

Lembre-se, eles estão apenas expressando seu próprio medo, já que destruir o trabalho de outras pessoas é outra desculpa para não fazer nada. “Por que eu deveria criar algo quando as coisas que as outras pessoas estão criando são tão ruins? Eu teria escrito um romance inteiro agora, mas vou esperar por algo bom, eu não quero escrever o próximo Crepúsculo!” Enquanto eles nunca produzirem nada, o trabalho deles será para sempre perfeito e livre de críticas. Ou, se produzirem alguma coisa, irão procurar fazê-la com uma ironia imparcial. Eles vão tornar intencionalmente ruim para deixar claro para todos os outros que este não é o seu verdadeiro esforço. Seu esforço real teria sido incrível e não teria nada a ver com a merda que você fez.

Ative as legendas.

Leia os comentários dos nossos artigos – quando eles são desagradáveis, é sempre do mesmo tipo:“Quem é você para dizer isso? Por que não para de fazer esses posts? Isso é hipocrisia! Pare de generalizar, isso é diferente do que eu teria feito, e a atenção que você está recebendo está fazendo eu me sentir mal comigo mesmo?!” entre outros.

Não seja essa pessoa. Se você é essa pessoa, não seja essa pessoa nunca mais. Isso é o que faz as pessoas odiarem você. Isso é o que faz você odiar você mesmo.

“Cacete, aprendendo espanhol, eu ganhei a habilidade de falar com 400 milhões de pessoas que antes eu não podia.”

“Eu não tenho dinheiro para fazer uma aula de culinária”. Você tem acesso à Internet, não tem? Então digite no google“como cozinhar”. Eles até filtram as pesquisas e retiram os sites pornô– sim, agora eles filtram – e estará lá várias lições para você aprender, está mais fácil do que nunca. Porra, você tem que parar com essas desculpas. Ou elas irão acabar com você.

Se você quer anotar seu projeto no fórum ou nos comentários e verificar depois de um ano, seja livre. Estarei curioso para ver se ao menos uma pessoa fará isso, mas se rolar iremos ver, não somente se conseguimos ou não cumprir a tarefa, mas o porquê. (…)

AdBit.biz

Deixe seu comentário: