fbpx

Para efeito de referência, estamos usando os dados da BitStamp que tem o histórico gráfico do Bitcoin desde 2011 e até hoje está entre as TOP10 em volume de transações em BTC.

Antecipando o novo ciclo de alta depois de 2013 e 2017, e dos respectivos Halvings, a maior moeda digital do mundo ultrapassa o preço de $19.666 de 17 de dezembro de 2017 e crava nova alta histórica.

Vamos entender o histórico da criptomoeda:

Bitcoin ATH Evolução histórica

E agora o panorama que temos até agora em 2020:

Bitcoin 2020

Podemos ver um padrão de ciclos de 4 anos.

Temos uma evolução natural, depois o Halving (que é de 4 em 4 anos) aumentando a escassez de uma criptomoeda finita, depois a Alta Histórica (Bitcoin ATH) e depois um ano de queda.

Estamos vendo a 3ª repetição do ciclo, mas com uma ressalva:

Parece que o Bitcoin antecipou 1 ano – ou alguns meses. A grande maioria dos analistas previa o Bitcoin ATH em 2021, como aconteceu nos ciclos anteriores e, possivelmente, 2022 de queda.

Os Halving's do Bitcoin

Mas outros eventos acontecem em paralelo.

Pandemia do Coronavírus gerou o Bitcoin ATH?

O ano de 202 é bem atípico. Passamos por uma grande pandemia que abalou a economia mundial e o próprio BTC sentiu isso no dia 12 de março de 2020 – dia que a comunidade cripto chamou de Corona Day.

Mas será que, depois, esse evento teve um efeito contrário?

Talvez,
O ponto é que estamos na iminência de ter a vacina – prevista, no Brasil, para janeiro-fevereiro de 2021.
Então pode ser que seja efeito da ‘vitória’ contra a pandemia.

Mas há outros fatores:

Grandes players , como a PayPal, que estão entrando forte no mercado cripto. Outro ponto é a possível ‘proteção’ que a maior criptomoeda oferece por não ter ‘dono’. O dinheiro é seu e ninguém pode mexer.

Não sabemos a real motivação do cliclo ser antecipado, mas o fato é que o Bitcoin atingiu a sua ATH e agora vamos monitorar os próximos passos.

AdBit.biz

Deixe seu comentário: