fbpx

Testando a confiabilidade da sua reserva de valor:

Quando se trata de repassar uma herança, precisamos de um ativo que possua valor, uma oferta limitada, seja transferível, divisível e portátil. Uma das coisas mais importantes, é que esse ativo possua uma oferta que é alterada apenas de acordo com critérios objetivos e calculáveis.

Essa é a condição necessária para que você conserve o seu poder de compra ao longo dos anos, e repasse ele para um sucessor.

Em uma economia centralizada, a moeda fiduciária é emitida por bancos centrais. No Brasil, já sabemos que o banco central tem o poder de aumentar a base monetária do Real, emitindo quanta moeda eletrônica ele quiser, em um processo chamado de flexibilização quantitativa, que se trata de aumentar o montante total de moeda que existe na economia. Com isso, o governo consegue manipular quanto dinheiro os bancos têm em suas reservas fracionárias e assim também tem o poder de alterar as taxas de juros via canetada.

Qual é o problema disso? Bom, é que no caso acima, quanto mais o banco central flexibiliza a quantidade de dinheiro no mercado, para ele dar para quem ele quiser, mais ele faz você perder o seu poder de compra. É como se isso fosse um imposto – só que na prática é invisível – porém se manifesta na alta dos preços.

E como o Bitcoin resolve esse problema?

Em um sistema monetário totalmente descentralizado, onde não há autoridade central que regula quanto se vai expandir a base monetária, há um consenso entre os voluntários que fazem parte da rede e concordam com as regras definidas no código.

A moeda então, passa de um ativo controlado pelos caprichos de políticos, para ser controlada e emitida por consenso de usuários que concordam voluntariamente com o protocolo e com as regras. No caso do Bitcoin, a moeda é emitida por computadores descentralizados e anônimos que processam as milhares transações: os chamados de mineradores. Com regras pré-estabelecidas, eles processam as transações de pessoa para pessoa e adicionam elas em um registro de transações público e descentralizado, chamado de Blockchain.

E qual é a vantagem disso? Bom, a vantagem é que os algoritmos das criptomoedas definem antecipadamente no seu código, como serão criadas, que taxas vão ser cobradas, onde serão armazenadas e qual será a quantidade limite de moeda emitida. E isso te entrega uma previsibilidade imensa. Qualquer usuário mal-intencionado que tente emitir uma moeda que não segue as regras de consenso, e tente fraudar o livro-razão público (blockchain), será rejeitado pela rede.

É por esse motivo que nem políticos, hackers, bandidos ou bancos tem o poder de cobrar impostos, roubar, fraudar ou até clonar os seus bitcoins, se você guarda-los de maneira correta em uma carteira confiável.

Testamento de Herança sem impostos com Bitcoin

Fazer um testamento é uma das formas mais nobres de deixar o seu dinheiro para sua família depois da sua morte. Porém, existem pessoas mal intencionadas que abusam do poder centralizado do estado para tentar taxar ou até abolir o direito a heranças. Portanto, a maneira mais correta de se repassar uma herança, é se protegendo e colocando o dinheiro em ativos confiáveis que não são lastreados em honestidade de políticos.

No testamento, a pessoa que quer deixar o valor em Bitcoins para seus filhos, pode escrever em um documento, qual é o seu endereço privado e a senha da sua carteira virtual de bitcoins. Assim, os herdeiros terão acesso automático e facilitado ao dinheiro, bastando sincronizar a carteira com a blockchain.

Essa é a solução mais prática para aqueles que, desde já, se preocupam com o futuro dos seus herdeiros e não querem pagar impostos. Isso pode descomplicar e desburocratizar todo o processo, além de evitar roubos. No entanto, é preciso ficar em alerta: tome algumas medidas a fim de prevenir que outras pessoas indesejáveis tenham acesso às suas chaves privadas e a senha da sua carteira.

Maneiras seguras para comprar e guardar seus bitcoins

1 – Como comprar Bitcoins de forma anônima via Bisq:

Como armazenar Bitcoins de maneiras confiáveis:

1—Você pode lacrar uma paper wallet com a senha e endereçá-lo a determinada pessoa ou guardá-lo em um local especial. É importante, ainda, manter uma anotação bem detalhada do saldo da sua carteira, para ter certeza de que ela não está sendo usada indevidamente.

2—Você também pode colocar seus bitcoins em uma plataforma multi-sig. O conceito multi-sig é uma carteira que precisa de mais de uma assinatura para transferir os bitcoins. Você pode entregar 1 chave para os seus filhos e 1 para uma pessoa de muita confiança, assim, quando você partir, os dois poderão movimentar bitcoins.

3—Você pode usar um pendrive criptografado ou uma hardwallet. Se você não gosta da ideia de deixar um papel com suas senhas anotadas, existem outras opções disponíveis para destinar como quiser a sua herança digital. É possível, por exemplo, utilizar pen drives com instruções de como acessar sua carteira ou carteira físicas, como Trezor e Ledger Wallet.

Os interessados em usar a técnica, devem criptografar o pendrive com uma senha que apenas os herdeiros conheçam. Dentro dele, devem estar contidas as instruções sobre como acessar e utilizar as criptomoedas disponíveis.

Deixar a herança em bitcoins deve ser uma preocupação de todas as pessoas que o utilizam. Vale ressaltar, por fim, que o dinheiro continuará a existir, mesmo depois que os investidores originais do bitcoin tenham partido. Por isso, tome esses cuidados para garantir o repasse da sua quantia para as pessoas desejadas.

Gostou do artigo? Compartilhe e deixe a sua opinião abaixo!

Quer receber as notícias em primeira mão? Participe do nosso canal no Telegram: https://t.me/portallibertarianismo (@portallibertarianismo)

AdBit.biz

Deixe seu comentário: