fbpx

“Negros não foram escravizados porque eram negros, mas porque estavam disponíveis. A escravidão existiu no mundo há milhares de anos. Brancos escravizaram outros brancos na Europa durante séculos antes do primeiro negro ter sido levado ao hemisfério ocidental. Asiáticos escravizaram europeus. Asiáticos escravizaram asiáticos. Africanos escravizaram outros africanos e, ainda hoje, no norte da África, negros continuam a escravizar negros.”

Thomas Sowell

A grande “dívida histórica” brasileira de que os brancos teoricamente tem com os negros por 400 anos de escravidão é provavelmente a maior mentira já contada na história. Negros também escravizaram brancos portugueses, e por 341 anos a mais. Não acredita? Então tente refutar os fatos que se seguem no artigo abaixo.

De onde vem o moderno estigma de dizer que todo o branco é racista e tem dívida histórica para com os negros?

O preconceito contra os brancos é tão grande que coisas como esse vídeo racista anti-branco, é veiculado na internet livremente, só porque foi feito por um ideólogo comunista/progressista negro.

Os ideólogos comunistas da Escola de Frankfurt a favor da luta de classes e de raças, são os engenheiros sociais por trás disso. Os partidos e ideólogos de esquerda infiltrados nas escolas, mídia e faculdades são os responsáveis por colocar a culpa da escravidão contra os negros toda em cima dos brancos. E como você pode perceber, eles é quem são os racistas e preconceituosos quando promovem esse tipo de coisa.

É fato histórico que a escravidão não foi cometida só por brancos. Negros tinham escravos negros e brancos (como você vai ver nos próximos tópicos deste artigo), e os vendiam para outras pessoas: os compradores de escravos; compradores estes que eram de todas as etnias… Culpar somente brancos pela escravidão, cobrando “dívida histórica” só de uma raça, é que é ser racista. Pessoas escravizaram pessoas, mas culpar somente uma, é errado, e é extremamente racista.

Mas os comunistas racistas forçam essa narrativa, para impor um novo tipo de escravidão moderna: a escravidão e a subserviência ao estado democrático moderno, e as narrativas de luta de classes e de raças que sustenta seus programas socialistas coercitivos e criminosos.

Para a ideologia comunista, todos devem fazer parte dessa “religião estatal” que defende o roubo da cobrança involuntária de impostos contra todos, em favor da máquina estatal. A escravidão comunista é muito pior do que as passadas: além de ela também fazer distinção de raça para promover conflito como os escravistas de outrora faziam, programam pessoas contra pessoas promovendo ressentimento racial para poderem se institucionalizar e forçar todos a acatarem suas pautas.

Mas nós vamos refutar essa falsa narrativa.

Negros escravizaram brancos por 741 anos.

Mouro vem do latim Maures que significa Negro, devido a cor da pele deles dos integrantes do Império Mouro.

O Império Mouro foi o grande império muçulmano que conquistou o norte da África, Oriente Médio e Península Ibérica (onde hoje se localizam Portugal e Espanha), é o mesmo império que alguns muçulmanos querem refazer através do estado islâmico. Com o regime de Califado, onde um homem seria escolhido por Deus para liderar o povo muçulmano na conversão do mundo para o islamismo. Você pode confirmar tudo o que foi escrito nesse parágrafo, assistindo ao documentário abaixo:

Com o declínio do Império Romano, o Califado conseguiu uma brecha e em menos de uma década conquistou a península Ibérica inteira. Apesar da resistência de algumas regiões que voltaram rapidamente ao domínio Cristão, o Império Mouro permaneceu de 711 até 1452 na península, o que nos leva a 741 anos de ocupação e também de escravidão do povo cristão, sendo que após serem expulsos da península ibérica continuaram a escravizar portugueses, principalmente os que moravam no litoral e eram alvos fáceis. Você pode ver todo esse processo de reconquista cristã acontecendo no mapa abaixo:

Se considerarmos o tempo que os portugueses escravizaram negros de 1415 a 1975 (se considerarmos o período colonial da Angola e Moçambique pós escravidão, pois a escravidão foi abolida em 1869), foram 560 anos. É um mal caratismo populista sem fim dessas organizações racistas promotoras de conflitos que nem deveria existir a essa altura do campeonato.

A escravidão sempre existiu e sempre foi com o intuito de gerar mão de obra e não por causa da cor da pele. Brancos já escravizaram brancos, negros já escravizaram negros. Nos primórdios o escravo era propriedade de outra ou em algumas nações os escravos eram os que pagavam impostos e os cidadãos não pagavam.

E com o fim da escravidão o que realmente aconteceu foi que todos nos tornamos escravos através da cobrança de impostos. E para manter seu poder escravocrata o governo vem promover o conflito entre brancos e negros. Mais liberdade, menos dependência, quanto menos pedirmos ao governo, menos impostos pagamos e enfraquecemos o governo, e menos seremos escravos.

Saiba mais sobre o assunto, consultando as fontes:

Escravidão Branca

Reconquista Cristã da Península Ibérica (718-1492)

711/2011 – 1300 anos da invasão Moura em Portugal!

Como foi a ocupação moura da península Ibérica? – Mundo Estranho (Abril)

A gênese do terror e o acirramento da luta entre Ocidente e Oriente: os Impérios da pólvora muçulmanos.

Mouros Negros e Mouros Pretos

Expansão dos otomanos deixa na defensiva a Europa cristã – Veja

África escravizou 1 milhão de brancos, diz historiador – Folha de São Paulo/ Reuters

Al Andalus

A vigarice acadêmica em ação – Olavo de Carvalho

Um blefe descomunal – Olavo de Carvalho

A Manilha e o Libambo: a África e a Escravidão de 1.500dc a 1.700dc

Escravidão e Hierarquia na Antiguidade Bíblica – PUC Rio

Arab and Berber (Moor) paintings

The White Slaves of Barbary

Slavery in Portugal

The Indigenous Berbers of Africa – By Natural Mystics

Wild Men and Moors painting

When Black Men Ruled the World: 8 Things The Moors Brought to Europe

Livro sobre o tópico:

Livro: Christian Slaves, Muslim Masters: White Slavery in the Mediterranean, the Barbary Coast and Italy, 1500-1800 (Early Modern History) por Robert C. Davis

Para quem estiver com preguiça de ler, aqui tem outo documentário:

AdBit.biz

Deixe seu comentário: